O Governo Regional vai lançar este mês o concurso para a empreitada de construção do Complexo Habitacional de São Gonçalo III, com o preço base de 7,2 milhões de euros, prevendo a edificação de 54 fogos de habitação social.

A intervenção será feita num terreno com uma área de quase nove mil metros quadrados e está a cargo da Secretaria Regional de Inclusão Social e Cidadania, entidade que tutela a IHM – Investimentos Habitacionais da Madeira, EPERAM. O projeto contempla a construção de três edifícios de três pisos, com tipologias variáveis entre T1 e T4, assim como de infraestruturas e espaços de acesso pedonal e de circulação.

As áreas exteriores comuns e públicas serão delimitadas e organizadas de forma articulada com o declive do terreno e com uma relação volumétrica que será integrada da melhor forma com toda a zona envolvente.

Está prevista a criação de estacionamentos e de áreas verdes de enquadramento e um parque infantil, com o intuito de potenciar a oferta de espaços para uma vivência integrada.

O empreendimento irá cumprir todas as recomendações no que concerne à mobilidade, de forma a garantir ausência de barreiras arquitetónicas, assim como elevará o patamar de desempenho e eficiência energética dos edifícios, na medida em que serão concebidos de forma a obter a classificação energética máxima.

A Secretária Regional de Inclusão Social e Cidadania, Augusta Aguiar, sublinha que «a construção de mais uma fase do Complexo Habitacional de São Gonçalo contribui para o aumento gradual do parque habitacional da Região Autónoma da Madeira no setor da Habitação Social, o que permite que se vá colmatando as carências habitacionais diagnosticadas na Estratégia Regional de Habitação 2020-2030».

Augusta Aguiar evidencia que, para além desta construção, aliada a outras intervenções de reabilitação e de manutenção, até 2026, «o Governo Regional vai reforçar a oferta de habitações sociais em até mais 1.136 fogos, tanto por via da aquisição como da construção, reabilitando, ainda, 325 habitações». E acrescenta: «O Plano de Recuperação e Resiliência reserva, para a Região Autónoma da Madeira, 136 milhões para este sector. Isto só comprova que a Habitação é uma das prioridades do Governo Regional».

 

CH SÃO GONÇALO III COM POLO COMUNITÁRIO

Decidiu-se integrar no projeto de construção um polo comunitário que, de forma análoga aos já existentes nos outros bairros habitacionais, pretende apoiar a população residente, nomeadamente através de uma intervenção social junto das famílias, dando uma resposta de âmbito social e comunitário, em que se desenvolve um conjunto de atividades formativas, lúdicas, culturais e desportivas, agindo de forma articulada com os parceiros locais.

O objetivo é responder às necessidades emergentes da população, à prevenção de problemas sociais e à promoção da inclusão social.

 

BAIRRO DE SÃO GONÇALO RENOVADO

A profunda renovação do Bairro de São Gonçalo tem sido feita de forma gradual.

O Complexo Habitacional de São Gonçalo I, com 37 fogos, foi inaugurado em 2011. São cinco T1, onze T2 e vinte e um T3, representando um investimento total de 2,2 milhões de euros.

A edificação destinou-se a substituir as estruturas degradadas antes existentes, cuja construção original foi em 1943, as quais já não dispunham das condições mínimas de habitabilidade, em termos de dimensão e conservação.

Já a segunda fase, denominado Complexo Habitacional de São Gonçalo II, com trinta apartamentos, quatro T0, oito T1, nove T2 e nove T3, ficou concluída no ano passado, representando um investimento de cerca de 2,2 milhões de euros.